sábado, 2 de abril de 2011

Seus olhos

Eu amo seus olhos tão negros, tão puros
De vivo fulgor;
Seus olhos que exprimem tão doce harmonia,
Que falam de amores com tanta poesia,
Com tanto pudor.
Seus olhos tão negros, tão belos, tão puros,
Assim é que são;
Eu amo esses olhos que falam de amores
Com tanta paixão.

Gonçalves Dias

Nenhum comentário:

Postar um comentário